Multa Moral realiza cerca de 18 mil notificações por ano

Ação educativa é realizada pelo HGG em parceria com a OAB-GO e conscientiza motoristas em alusão aos direitos da pessoa com deficiência

Ação educativa é realizada pelo HGG em parceria com a OAB-GO

O Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG realizou nesta quinta-feira, 1° de dezembro, a retomada da Campanha Multa Moral, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), com o objetivo de conscientizar motoristas que estacionam em vagas não permitidas e de forma errada nas proximidades do hospital. A iniciativa, que contou com a presença de membros da Associação dos Deficientes Físicos do Estado de Goiás (ADFEGO), também faz alusão ao Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, celebrado no próximo dia 3 de dezembro.

A Multa Moral é aplicada de forma educativa, com orientações por meio de panfletos e a exposição das infrações de trânsito, que variam entre estacionar em vagas destinadas a pessoas com deficiência ou idosos, estacionar em calçadas, fila dupla e obstruir a entrada e saída de ambulâncias da unidade de saúde. Segundo o diretor administrativo do HGG, Alessandro Purcino, a campanha tem como objetivo alertar e educar condutores, passageiros, ciclistas e pedestres sobre a necessidade de respeitar as regras do trânsito, e também em respeito às pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

“Aderimos a essa ação para realizar uma abordagem educativa aos motoristas em frente ao HGG, e nas redondezas, pois é muito comum, por exemplo, pessoas estacionarem em frente ao portão de abastecimento de oxigênio da unidade. Além disso, temos aplicado em média 18 mil multas morais por ano em volta do HGG. É um número muito significativo. Quando o nosso colaborador aborda os motoristas, ele explica que é uma medida educativa, apresenta a multa e já marca a infração cometida. Muitos já retiram o veículo, entendem a situação e percebemos o impacto. Infelizmente, em alguns casos temos reações negativas por parte da população.” O diretor ressalta que a multa mais aplicada é a da fila dupla.  

O ex-presidente da Comissão de Pessoas com Deficiência da OAB-GO, Hebert Batista Alves, disse que foi uma satisfação participar da retomada de um projeto que ele vivencia de perto há tantos anos. “Participo dessa ação com muito carinho. Quando reservamos um espaço para pessoas com deficiência, ou com dificuldade de locomoção, vejo isso como algo inclusivo, não só um direito. Muitas pessoas deixam de sair de casa ou ir a um evento devido à dificuldade para estacionar. A vaga exclusiva veio para facilitar esses momentos, é um instrumento muito importante para a inclusão social. Além disso, o HGG tem sido um parceiro importante sobre a conscientização e respeito às vagas reservadas. É importante que as pessoas passem a respeitar o direito do próximo, para que se torne permanente. Esperamos que essas parcerias perdurem e que se ampliem, muito obrigado pelo convite, estou muito feliz por estar aqui e ver a continuidade dessa parceria.”

A atual presidente da comissão, Tatiana Takeda, desta que a OAB-GO foi uma das primeiras instituições a abraçar a causa.  “Os direitos das pessoas com deficiência ainda são muito recentes. Estamos em constante luta por eles, lidamos diariamente com barreiras impostas pela própria sociedade, às vezes também por negligência do poder público. Além disso, ainda temos que conviver com muitas barreiras como o preconceito, discriminação, o capacitismo e até o mesmo o  bullying. Hoje, estamos juntos aqui para apoiar e ajudar na divulgação desse projeto tão essencial para a população”, ressaltou.

A representante da ADFEGO, Márcia Serrano, participou do evento e compartilhou com os presentes várias situações que já vivenciou como pessoa que utiliza cadeira de rodas. “Fico muito feliz com essa ação. Realmente, nossa cidade precisa muito dessa educação. Temos muitas dificuldades, vários carros param na rampa, local que precisamos passar. Eu já vivenciei muitas experiências desconfortáveis. Estamos aqui para apoiar a causa e ajudar na conscientização da população”, considerou.

Texto: Susana Meira - Idetch/HGG
Foto: Divulgação Ascom HGG