Policlínica de Formosa cria álbum de higienização das mãos

Intuito foi entrar no clima da Copa da Mundo, mantendo o aprendizado de forma lúdica

Policlínica Estadual de Formosa realizou um treinamento sobre higienização das mãos

A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIRAS) da Policlínica Estadual de Formosa realizou um treinamento sobre higienização das mãos e entregou para os colaboradores um álbum de figurinhas sobre o tema. A  inspiração, segundo a presidente da comissão, Laís Ferreira de Araújo, é o clima da Copa do Mundo. “O intuito foi levar o colaborador a aprender de forma lúdica os principais pontos sobre a higienização das mãos. Além disso, levar a comunicação e envolvimento dos colaboradores pelo fato de terem que trocar as figurinhas para completar o álbum. Os profissionais que participarem dos 4 treinamentos expostos e completarem o álbum receberão um prêmio”, afirmou.

Na primeira parte do treinamento, foi realizada uma abordagem teórica baseada no manual Segurança do Paciente em Serviços de Saúde e Higienização das Mãos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Foram discutidas as recomendações dos órgãos de controle de infecção que reiteram a higienização das mãos  antes e depois do contato com o paciente e após o contato com objetos entre os quais equipamentos médicos, no procedimento de inserção de cateter e após a remoção das luvas.

Laís destaca que além das medidas de lavagem frequente das mãos com água e sabonete, foi abordado também sobre o que fazer quando não houver  instalações adequadas de lavagem das mãos. “A recomendação é o uso de produtos sanitizantes para as mãos e a prática de desinfecção de superfícies considerando as formas de transmissão do vírus”, explicou.

A colaboradora Thaysa Romualdo Batista destaca que a experiência com o álbum de figurinhas de higienização das mãos foi de grande enriquecimento. “A ação possibilita que os profissionais fixem o conteúdo de uma forma lúdica e levou a uma boa interação entre os setores, que precisaram trocar as figurinhas para completar o álbum”, disse.

A ação faz parte da prática educacional da unidade, por ser uma atividade que busca qualificar o atendimento, prestando um melhor serviço ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), uma abordagem basilar no que diz respeito à prevenção e controle de infecções como estratégia de promoção da segurança do paciente.

Julianna Adornelas (texto e fotos) /Instituto Cem/Policlínica Formosa