Hospital Estadual de Uruaçu oferece espaços para atendimento psiquiátrico

Unidade do Governo de Goiás no centro-norte do Estado anuncia oito leitos da especialidade, no mês que marca Janeiro Branco, sobre saúde mental

Recepeção da unidade do Governo de Goiás em Uruaçu, que oferece 8 leitos para casos psiquiátricos

O Hospital Estadual do Centro-Norte Goiano (HCN), unidade do Governo de Goiás em Uruaçu, está inaugurando, neste mês, oito leitos de clínicas psiquiátricas para atender os pacientes que necessitam de tratamentos relacionados ao bem-estar emocional. A novidade vem ao encontro do período de celebração da campanha nacional Janeiro Branco, que propõe a conscientização sobre a importância da promoção e da proteção da saúde mental.

Com essa iniciativa, a população de Uruaçu e das regiões do entorno terá acesso, por meio do sistema de Complexo Regulador Estadual (CRE), a mais espaços de tratamentos psiquiátricos. “A saúde emocional é tão importante quanto a saúde física, por isso cuidamos e acolhemos os nossos pacientes que precisam de cuidados relacionados à mente”, afirma Getro de Oliveira Pádua, diretor-geral do Instituto de Medicina e Desenvolvimento – Imed, organização social que administra o HCN.

No hospital, os pacientes são tratados por uma equipe multiprofissional formada por psiquiatra, psicólogo, enfermeiros, assistente social, entre outros. “O paciente de saúde mental exige uma condução no atendimento diferente do que aqueles que são casos clínicos”, comenta João Batista da Cunha, diretor assistencial da unidade de saúde.

Ele explica, também, que há casos em que a média de tempo de internação dos pacientes com problemas relacionados à saúde mental acaba sendo muito superior ao período dos casos de eventos clínicos. Por isso, a importância da iniciativa do HCN em inaugurar os novos leitos para essas pessoas que necessitam de atenção psiquiátrica.

Acolhimento
O atendimento é realizado com a ideia de acolher. Com base nisso, a proposta inicial é estabelecer vínculos para que os pacientes possam se abrir e, consequentemente, serem tratados. “Então, a equipe multiprofissional é inserida ao cuidado, como acontece, por exemplo, no serviço social e na psicologia”, pontua Marcelo Ramos, gerente de enfermagem da unidade.

Outro ponto trabalhado é o atendimento humanizado. Nesse sentido, ele lembra o papel dos enfermeiros, destacando que esses profissionais buscam entender as necessidades dos pacientes, traçando um plano com as outras equipes para compor medidas de apoio, pois, dessa maneira, podem estabelecer uma relação de confiança durante o tratamento.

“O profissional torna-se a referência dele [paciente] fora do ambiente domiciliar. Com este modelo conseguimos evitar práticas de contenção mecânica e química, além de otimizar o processo de alta”, completa Ramos. Ele reforça ainda que as famílias dos pacientes podem ser inseridas nos cuidados,  como rede de apoio. De acordo com o enfermeiro, caso os parentes precisem de suporte com orientação, os profissionais do hospital estão prontos para ajudar.

Colaborador
Além dos cuidados com os pacientes, o HCN também desenvolve ações relacionadas ao Janeiro Branco para cuidar da saúde mental dos colaboradores. Nos dias 26 e 27 deste mês, a unidade irá, inclusive, promover palestras voltadas às equipes profissionais.  

“Queremos conscientizar também nossos colaboradores sobre a importância da manutenção do bem-estar emocional. Afinal, cuidamos ainda melhor de todos quando estamos bem com nós mesmos”, defende Mariana de Ávila Maciel, coordenadora multiprofissional do HCN.

Wandy Ribeiro  (texto e foto)/Imed

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.