HEMNSL promove ação no Dia Mundial de Combate à Aids

Evento da unidade do Governo de Goiás destaca que diagnóstico precoce e tratamento adequado permitem o controle da doença e maior qualidade de vida

Auditório onde evento é conduzido recebe decoração em vermelho, cor símbolo da campanha

Todos os anos, em 1º de dezembro, é celebrado o Dia Mundial de Luta de Combate à Aids. Para lembrar a data e conscientizar os colaboradores sobre o assunto, o Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL) promoveu uma ação no auditório da unidade do Governo de Goiás, que recebeu decoração na cor símbolo da campanha – o vermelho.

O evento foi organizado pelo Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (NVEH) e Núcleo de Segurança do Paciente (NSP), com apoio do Serviço Social. Pelo fato de a maternidade receber algumas gestantes infectadas com o vírus HIV, a unidade tem um vínculo com o setor de Adesão do Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT). Para explicar como funciona o Setor de Adesão, os profissionais do HDT, psicólogo Whigney Costa, e a assistente administrativa Gina Camargo foram os palestrantes.

Por meio do trabalho feito por esse departamento do HDT, Goiás é referência no controle do HIV/aids no País, com a diminuição de casos de transmissão vertical (situação em que a criança é infectada durante a gestação, no parto ou por meio da amamentação).

Whigney abordou o conceito de Adesão, HIV-aids, os fatores que dificultam a adesão como crenças negativas, abuso de álcool e outras drogas, medo da discriminação, dificuldade de acesso ao serviço. 

Ele também destacou os fatores que facilitam a adesão, como os esquemas terapêuticos simplificados, conhecimento e compreensão do tratamento, acolhimento e escuta ativa do paciente. “O diagnóstico precoce e o tratamento adequado com medidas de prevenção e cuidado contínuo ajudam a reduzir a transmissão vertical da doença”, destacou ainda.

Alerta
Gina relatou sobre o acolhimento dado aos pacientes, busca ativa, organização e doação de fórmulas infantis, acompanhamento e mediação com a equipe multi e regulação. E fez um alerta: “Se uma gestante ou puérpera descobrir que foi diagnosticada com HIV, deve ser encaminhada imediatamente para a Adesão, que funciona em regime porta aberta, nesse caso”, pontuou.

A ação agradou aos colaboradores. “Muito bom poder conhecer um pouco mais do trabalho desenvolvido para com as mães com HIV. E também lembrarmos de manter o alerta da prevenção”, disse Noemi da Silva.  “O trabalho social de prevenção e promoção da saúde com nossas gestantes e puérperas é fundamental. Esses esclarecimentos foram muito importantes”, afirmou a assistente social Lourdes Maria.

“Nossa intenção foi trazer conhecimento aos colaboradores, para que sejam multiplicadores da informação e ressaltar a importância do acesso aos métodos de prevenção, diagnóstico e tratamento, bem como do acolhimento nos serviços de saúde e principalmente, destacando a prevenção”, destacou a enfermeira do NVEH Thaynara Silva.

No final da palestra, foram distribuídos broches vermelhos, símbolo da luta contra a aids, um kit com informativos sobre o uso de camisinha, testagem rápida de HIV, prevenção contra ISTs, HIV e aids e preservativos.

Marilane Correntino (texto e foto)/IGH

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.