HESLMB alerta para riscos da dengue com aumento das chuvas

Chegada do verão pode facilitar procriação do Aedes aegypti, colocando a população em risco, informa unidade do Governo de Goiás em São Luís de Montes Belo

Hospital Estadual de São Luís de Montes Belo reforça importância de combater o Aedes aegypti

Com o início da temporada de chuvas em Goiás, o Hospital Estadual de São Luís de Montes Belos – Dr. Geraldo Landó (HESLMB) alerta a população sobre o aumento no número de casos de dengue. Impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor também da zika e chikungunya, é a forma de prevenção mais eficaz no combate à doença.

No primeiro semestre deste ano, a unidade do Governo de Goiás notificou 1.120 casos de dengue. De acordo com a Secretária de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO), já são mais de 60.300 casos confirmados neste ano. Durante o verão, a comunidade deve estar vigilante aos fatores de transmissão, contaminação e sintomas, pois algumas complicações da doença podem ser fatais.

“Em parceria com o município e o núcleo de controle de vetores, nós visamos reduzir os casos de dengue e minimizar sintomas graves, por meio da conscientização da população”, explica a coordenadora do núcleo epidemiológico do HESLMB, Isabella Santiago. 

Ela orienta a população a eliminar objetos e fazer a manutenção de locais com potencial para se tornarem focos de água parada, o que contribui para a reprodução do mosquito. Isabella reforça a necessidade de manter baldes, caixas d’água e piscinas sempre tampados. “É importante que os vasos das plantas sejam preenchidos com areia, para evitar o acúmulo de água. Calhas e canos também devem estar sempre limpos”, reforça.

Vale lembrar que é preciso lavar bebedouros de animais domésticos todos os dias. Ainda é recomendado o uso de repelentes –  registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – e roupas que não deixem a pele totalmente exposta. Em casos de contaminação, a unidade hospitalar de São Luís dos Montes Belos também realiza testes para confirmar o diagnóstico de pacientes.

Sintomas e tratamento
Por ser uma doença febril, um dos primeiros sintomas que se manifesta após o contato com o vírus é a febra alta, podendo alcançar de 38º a 40º C. Outros sintomas são náuseas, vômitos, dores musculares e, ao movimentar os olhos, dor de cabeça, bem como manchas vermelhas na pele e, em casos graves, alterações nos batimentos cardíacos e sangramentos.

Isabella acrescenta cuidados hospitalares adotados pelos médicos ao identificarem os primeiros sinais. “Com a pandemia, os sintomas da dengue podem ser confundidos com os da Covid-19. Por isso, quando o paciente busca atendimento no HESLMB apresentando os sintomas, de início fazemos o teste NS1 no laboratório da unidade, para identificar e iniciar o tratamento adequado“, explica.

Após analisar o quadro clínico do paciente, a equipe médica indica o tratamento que se inicia com repouso, medicação – para diminuir dores e vômitos – e a hidratação (que pode ser via oral, com a ingestão de líquidos ou intravenosa).

“Nós reforçamos a importância de combater a dengue neste momento que começamos a nos recuperar da pandemia. O HESLMB continua zelando pelo bem-estar populacional e se preocupa em disponibilizar um serviço de saúde completo à sociedade”, afirma Éder Souza, diretor da unidade.

Dayelle Hadassa (texto e foto)/Imed

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.