Policlínica Estadual de Quirinópolis promove conscientização sobre doação de sangue

No dia nacional do doador, psicóloga da unidade do Governo de Goiás na região sudoeste aborda as condições e critérios para realização desse ato de solidariedade

Psicóloga Ana Luiza fala com colaboradores, pacientes e seus acompanhantes, na recepção da unidade

A Policlínica Estadual da Região Sudoeste – Quirinópolis promoveu uma atividade em alusão ao Dia Nacional do Doador de Sangue, celebrado em 25 de novembro. A psicóloga Ana Luiza Ferreira Moreira falou com pacientes, colaboradores e acompanhantes da unidade do Governo de Goiás na região sudoeste sobre a importância da doação de sangue.

Ana Luiza abordou as condições básicas necessárias para doar sangue. E explicou que, antes da doação, o voluntário passa pelo cadastro, pré-triagem, triagem clínica e finaliza com a coleta da bolsa de sangue. “A doação é um gesto humanitário de segurança nacional. Em algum momento, um familiar ou um conhecido já precisou, ou poderá precisar, de transfusão sanguínea”, frisou.

Ela lembra que, para doar sangue, são exigidos, entre outros critérios: ter entre 16 e 69 anos de idade – menores de 18 anos precisam estar acompanhados de um dos responsáveis legais (pai ou mãe) – estar bem de saúde, pesar mais de 50 kg e apresentar documento de identificação com foto emitido por órgão oficial.

“Doar sangue não é apenas um ato de solidariedade. É um ato de vida, de cidadania e de amor ao próximo. Cada doação pode ajudar a salvar até quatro vidas. Por isso, precisamos ter essa conscientização e realizar a doação”, destaca Ana Luíza.

Julianna Adornelas (texto e foto)/Instituto CEM

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.