HRL inaugura serviço de tomografia computadorizada para pacientes

Exame ajuda médicos a avaliarem órgãos afetados pelo novo coronavírus na unidade do Governo de Goiás em Luziânia

Tomografias e demais tratamentos no HRL são realizados gratuitamente pelo SUS

Um paciente de 86 anos, morador de Valparaíso de Goiás, foi o primeiro paciente do Hospital Regional de Luziânia (HRL) a ter seu tratamento avaliado pelas imagens obtidas por meio do tomógrafo computadorizado. O aparelho começou a ser usado nesse fim de semana para os pacientes do HRL.

Internado desde o dia 19 de junho, o idoso apresentou melhora e o exame confirmou que ele está se recuperando bem. Já não está mais entubado, caminha pelo quarto e pode ter alta para a enfermaria nas próximas horas. Ainda usa suporte ventilatório por cateter nasal.

As tomografias são realizadas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde), como todos os demais tratamentos do HRL, e são o que há de mais moderno para o tratamento da Covid-19. “Esse exame só existia na rede privada e é importante para avaliar as condições do paciente e a evolução do tratamento”, explica Getro de Oliveira Pádua, diretor do Imed. A organização social que administra o HRL fez manutenção no aparelho e contratou profissionais especializados para operá-lo. O exame de imagem só pode ser solicitado pelos médicos do pronto-socorro ou da UTI.

Tecnologia diagnóstica

Tomografia é um exame de imagem não invasivo que utiliza a tecnologia dos raios X em associação com softwares de computador para gerar imagens de alta resolução do interior do corpo. No HRL será usado, principalmente, para tomografia de tórax em pacientes afetados pela Covid-19.

O aparelho serve para detectar, no entanto, a evolução de outras doenças, como pneumonia, tuberculose, enfisema pulmonar, embolia, câncer de pulmão e aneurisma de aorta. O preço desse exame na rede privada de saúde varia de 250 a 700 reais.

“Ao longo do tratamento podem ser necessários mais de um exame como esse, então, para a população, é um benefício muito grande. Como ainda não  há cura,  pelo menos o tratamento está evoluindo”, analisa Pádua.

Sobre o HRL

O Hospital Regional de Luziânia (HRL) começou a receber os primeiros pacientes com sintomas de Covid-19 no dia 20 de maio de 2020. Foram transferidos pela central estadual de regulação de vagas do Estado de Goiás. Os leitos são ocupados gradualmente, a partir da avaliação diária e conjunta da direção com a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (        SES-GO).

Estadualizado, após passar oito anos em obras, o HRL foi o primeiro hospital do Entorno do Distrito Federal dedicado a tratar pacientes com sintomas respiratórios agudos causados pelo novo coronavírus. Cerca de 1,2 milhão de pessoas, que moram na região, são beneficiadas pelo Hospital Regional de Luziânia.

 

Christiane Beller (texto e fotos)/Imed