SES debate trânsito em tempos de isolamento social

Governo de Goiás reúne especialistas na live  “Maio Amarelo, isolamento social e as perspectivas pós pandemia”

Equipe do Governo de Goiás atua na conscientização no trânsito durante a pandemia da covid-19

Neste mês de campanha de prevenção aos acidentes de trânsito, o Maio Amarelo – que em 2020 tem como slogan Perceba o risco. Proteja a Vida –  mostra que a pandemia da covid-19 tem levado à redução do número de acidentados. É o que se observada nos atendimentos nos hospitais de pronto-socorro da rede estadual.

“Foi como um piscar de olhos que nossas vidas e o mundo mudaram significativamente, e somos levados a pensar coletivamente, onde não nos preocupamos apenas em não sermos contaminados, mas também em não sermos um veículo de disseminação do vírus levando a contaminação de outras pessoas”, resume Maria de Fátima Rodrigues, coordenadora de Vigilância de Violências e Acidentes da Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), obedecendo a recomendações do Ministério da Saúde. 

Diante do cenário de isolamento social, em que atitudes individuais têm impacto no coletivo, a campanha mostra que, no trânsito, o comportamento de risco individual pode colocar a vida de outros em perigo. A campanha educativa da SES-GO, veiculada pelas mídias sociais, tem como objetivo contribuir para a adoção de comportamentos seguros. Também como parte do movimento, será realizada, nesta sexta-feira, 29, às 10h, por meio da plataforma Zoom, a live “Maio Amarelo, isolamento social e as perspectivas pós-pandemia pela plataforma Zoom”. 

Acidentes de trânsito
Dados divulgados pelo European Transport Safety Council (2020) apontam que os acidentes de trânsito sofreram redução de até 85% nas maiores cidades da Europa. “Independentemente do nível de isolamento social adotado, o tráfego de pessoas e veículos diminuiu. Essa redução traz, em contrapartida, a diminuição do risco de se envolver em um acidente”, avalia Maria de Fátima, ao lembrar que o Ministério da Saúde não dispõe, ainda, de dados de mortes referentes ao período de isolamento no Brasil.

Dados de atendimento/internação por acidentes de trânsito registrados em Hospitais de Urgência da rede pública estadual, em março e abril, mostram que houve redução, no comparativo com o mesmo período do ano passado. 

Nos Hospitais de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa) e de Dr. Henrique Santillo (Huana), a redução foi de 13%.  No Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), a queda foi de 27%. Quando comparados por categoria, os acidentes envolvendo pedestres no Hugol sofreram redução de 18%; motociclistas, 29%; e automóveis, 25%.

Epidemia de mortes
Contudo, a diminuição do volume do tráfego propicia, por exemplo, a falta de atenção de pedestres e condutores no trânsito. Ao mesmo tempo, pode provocar o excesso de velocidade, em virtude do menor fluxo de veículos e, consequentemente, o número de infrações de trânsito. “Ainda que em tempos de pandemia, não podemos nos esquecer da epidemia de mortes no trânsito, constante todos os anos no Brasil” alerta Maria de Fátima.

Em 2018, Goiás contabilizou 1.518 óbitos decorrentes de acidente de trânsito. Desse total, 81% são do sexo masculino, com predominância da faixa etária de 20 a 34 anos de idade. E 31% dos óbitos foram de motociclistas, seguida de automóveis, pedestres e ciclistas.  


SERVIÇO
Live “Maio Amarelo, isolamento social e as perspectivas pós pandemia”
Data: sexta-feira, 29, às 10 horas 
Local: plataforma Zoom (para acessar, clique aqui)
ID da reunião: 979 2299 2923
Senha: 356298

Participantes: Maria de Fátima Rodrigues, coordenadora Vigilância e Violências de Acidentes de Transito; Antenor Pinheiro, jornalista e perito de trânsito; Vinícius Polzin, professor, geógrafo da UEG; Érika Cristina Kneib, arquiteta e urbanista, pesquisadora da UFG.

Maria do Rosário Mesquita(texto) e Iron Braz (fotos)/Comunicação Setorial