Hugol alerta sobre perigos de queimaduras durante a quarentena

Especialistas da unidade do Governo de Goiás orientam, principalmente, a tomar cuidado especial com a utilização de álcool gel e líquido 

Com o objetivo de conscientizar a população sobre os riscos inerentes de acidentes com queimaduras durante o período da pandemia do Covid-19, especialistas do Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), unidade Governo de Goiás, alertam sobre os possíveis perigos encontrados no ambiente do lar, especialmente com a utilização do álcool, 

“Nesse período de isolamento social, em que as pessoas estão de quarentena em casa, é importante estar mais atentos às situações de risco a que estamos expostos e ser mais prudentes em relação a elas, pois observamos que a maioria dos acidentes com queimaduras pode ser evitada. Havendo crianças em casa, evite a circulação delas na cozinha, principalmente durante o preparo das refeições no fogão. E, caso for utilizar o álcool em gel para a assepsia das mãos, tome os devidos cuidados, pois, em caso de combustão do produto, sua chama não é vista de forma clara, podendo causar uma grave queimadura”, relatou Fabiano Arruda, supervisor médico da Unidade de Queimados do Hugol.

A cuidadora de idosos Leidiane da Silva havia acabado de higienizar as mãos com álcool líquido e acabou se queimando ao acender o fogão. Tentando apagar as chamas, seu marido Fábio também sofreu queimaduras graves, e ambos foram encaminhados para a unidade. “Esse acidente aconteceu em um momento de distração e agora, mais do que nunca, precisamos estar atentos aos perigos ao nosso redor, especialmente com o uso de álcool em idosos e crianças. Agradeço a toda equipe do Hugol pelo tratamento que estamos recebendo e espero que toda a população tome cuidado em casa”, comentou Leidiane.

Mais de 2,1 mil vítimas
O Centro de Referência em Assistência a Queimados do Hugol é um dos mais modernos do País e, até dezembro de 2019, já tratou 2.116 vítimas de queimaduras graves. Ele recebe pacientes regulados pelas centrais de regulação do Estado que apresentam critérios de internação normatizados pela Sociedade Brasileira de Queimaduras. 

O serviço conta com equipe médica (plástica, intensivista e clínica), de enfermagem e multiprofissional (fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, serviço social e terapia ocupacional), especializadas e dedicadas ao atendimento dos pacientes com queimaduras; aparelhos modernos; produtos e curativos específicos; e agilidade para a realização de exames (imagem e laboratorial).


José Ferreira Neto (texto) e Edson Freitas (foto)/Agir