Vigilância do Óbito

A Vigilância do Óbito e monitoramento dos sistemas SIM/SINASC, tem por finalidade implantar ou implementar a investigação do óbito fetal, infantil, Mulheres em Idade Fértil e materno, promover a análise dessas informações que viabilizem estudos não apenas do ponto de vista estatístico e epidemiológico, mas também sócio-demográfico (Portal Saúde).

A vigilância de óbitos se enquadra no conceito de vigilância epidemiológica que compreende o conhecimento dos determinantes dos óbitos maternos, infantis, fetais e com causa mal definida e a proposição de medidas de prevenção e controle.

Para incorporar o uso da informação na adoção de medidas de prevenção dos óbitos evitáveis, por meio da melhoria da assistência, as ações de vigilância (identificar, investigar, analisar e monitorar os óbitos) devem ser implementadas.

É fundamental: aumentar a quantidade de notificações de nascimentos e óbitos que são captados nos Sistemas de Informações sobre Nascidos Vivos e sobre Mortalidade do Ministério da Saúde em até pelo menos 90% dos nascimentos e óbitos estimados; vigiar todos os óbitos segundo os critérios definidos e melhorar a qualidade das informações prestadas (inclusive sobre a causa da morte).

Identificar, investigar, analisar e notificar os dados provenientes das investigações de óbitos maternos, fetais e infantis, geram informações que são essenciais para o conhecimento da situação atual e para adoção de decisões gerenciais que promovam medidas de prevenção dos óbitos evitáveis e uma melhoria na qualidade da atenção prestada á saúde das mulheres e crianças brasileiras.