Rotavírus

Descrição: É uma doença diarréica aguda causada por um vírus. Trata-se de uma das mais importantes causas de diarréia grave em crianças menores de 5 anos no mundo, particularmente nos países em desenvolvimento. Os Rotavírus pertencem à família Reoviridae, gênero rotavírus. São classificados em grupos, subgrupos e sorotipos de acordo com sua composição antigênica. As partículas completas possuem três camadas protéicas concêntricas e cada segmento genômico (ou gene) regula a síntese de uma proteína viral especifica. A classificação dos rotavírus em sorotipos (ou genótipos) tem um caráter binário, configurando suas particularidades inerentes às proteínas VP7 e VP4. São reconhecidos 15 diferentes sorotipos (genótipos) G e, pelo menos 10 infectam o homem, com importância epidemiológica os tipos G1,G2,G3,G4 e G9 e a diversidade de VP4 se expressa por 20 diferentes genótipos P.

Transmissão: São transmitidos pela via fecal-oral, por contato pessoa a pessoa, através de água e alimentos contaminados, por objetos contaminados e provavelmente por propagação aérea, via aerossóis. Há presença de alta concentração do vírus causador da doença nas fezes de crianças infectadas.

Prevenção: Administrar a vacina contra rotavirus (VORH) em crianças menores de seis meses;
lavar sempre as mãos antes e depois de: utilizar o banheiro, trocar fraldas, manipular/preparar os alimentos, amamentar, tocar em animais; lavar e desinfetar as superfícies, utensílios e equipamentos usados na preparação de alimentos; proteger os alimentos e as áreas da cozinha contra insetos, animais de estimação e outros animais (guardar os alimentos em recipientes fechados); guardar a água tratada em vasilhas limpas e de boca estreita para evitar a recontaminação; não utilizar água de riachos, rios, cacimbas ou poços contaminados; ensacar e manter a tampa do lixo sempre fechada, quando não houver coleta de lixo, este deve ser enterrado; usar sempre a privada, mas se isso não for possível, enterrar as fezes sempre longe dos cursos de água; manter o aleitamento materno aumenta a resistência das crianças contra as diarréias; evitar o desmame precoce.

Sintomas: A forma clássica da doença, principalmente na faixa de seis meses a dois anos é caracterizada por uma forma abrupta de vômito, na maioria das vezes há diarréia (caráter aquoso, aspecto gorduroso e explosivo), e a presença de febre alta. Podem ocorrer formas leves e subclínicas nos adultos e formas assintomáticas na fase neonatal e durante os quatro primeiros meses de vida.

Tratamento: O paciente deve ser tratado através de reposição hidroeletrolítica e manejo dietético adequado. Não é recomendado o uso de antimicrobianos e antidiarréicos.

Links para Pesquisa (Artigo):

Caracterização de genótipos de rotavírus em creches: era pré- e pós-vacinação contra o rotavírus.