Dismenorreia

Descrição: Dismenorreia é a dor pélvica que surge no primeiro dia do período menstrual. E que desaparece, quando cessa o fluxo. Mas tende a se prolongar em muitas patologias que podem estar associadas com a dismenorreia Tem um caráter cíclico. Gera grande ansiedade na paciente esperando o próximo ciclo menstrual É uma das causas de afastamento das mulheres ao trabalho e outras atividades do cotidiano. Cada mulher tem seu limiar de dor, muitos fatores estão envolvidos neste quadro clínico que a mulher apresenta até os aspectos cognitivos têm seu fator de contribuição. A dismenorreia está dividida em duas categorias: dismenorreia primária – é caracterizada por cólicas nos ciclos menstruais normais, sem associação com problemas mais sérios; dismenorreia secundária está associada a problemas como malformações uterinas, endométrios, miomas, uso de dispositivo intrauterino (DIU).

Causa: Anamnese da paciente, idade, periodicidade, ciclos regulares, ou irregulares, duração. É válido também investigar através de exames: -ultrassonografia (para descartar cistos de ovários, pólipos malformações uterinas etc.) -histeroscopia.(examinar o canal cervical e cavidade uterina. Podemos ainda investigar através de hemograma, cultura de urina, citologia vaginal.

Prevenção: Evitar vida sedentária: exercícios aeróbicos moderados que provocam liberação de endorfinas podem trazer sensação de bem estar, de autoconfiança, e aumentar a resistência à dor; dieta: alimentos gordurosos que retardam o trânsito intestinal e alimentos que provocam fermentação devem ser evitados, especialmente nos períodos pré-menstruais, a dieta deve ser rica em frutas e em vegetais com fibras para assegurar trânsito intestinal adequado; hidratação: a ingestão de quantidades insuficientes de água pode causar ressecamento do bolo fecal e obstipação, que contribui para agravar quadros de dismenorréia.

Sintomas: Os sintomas são diferenciados de acordo com o tipo de dismenorréia. A dismenorréia primária tem sua etiologia discutida entre os estudiosos do assunto, ela costuma surgir nos primeiros ciclos. Tende a cessar ou diminuir após a gravidez ou com a idade. Está associada ao aumento da produção de prostaglandinas, gerando cólica, náuseas, vômitos, diarreia, fadiga, nervosismo, cefaleia. A dismenorréia secundária tem fatores orgânicos que contribuem agravando mais o quadro clinico apresentado, a paciente pode apresentar um quadro de anexite, parametrite, endometriose, varizes uterinas, miomas, pólipos, estenose cervical, processos inflamatórios na região pélvicas, DIU todos estes fatores tendem a aumentar o quadro doloroso Alem do quadro doloroso que a paciente apresenta, ainda pode estar associado, vômitos, nervosismo, cefaleia dor lombar e dores na face interna da coxa, diarreia, desmaios, distensão abdominal, dor nas mamas, quadros depressivos, instabilidade emocional, etc.

Tratamento: Pode ser feito anticoncepcionais oral, anti-inflamatórios, inibidores de prostaglandinas,diuréticos,antiespasmódicos, tranquilizantes, além de psicoterapia.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.