Abscesso da Glândula de Bartholin

Descrição: Acúmulo purulento de fluidos que forma uma protuberância (inchaço) em uma das glândulas de Bartholin. São glândulas produtoras de muco e estão localizadas nos dois lados da abertura vaginal, na parte mais interna dos lábios vaginais. O inchaço é quente, sensível e doloroso.

Causa: Doença sexualmente transmissível.

Prevenção: Práticas sexuais mais seguras e uma boa higiene pessoal podem diminuir o risco.

Sintomas: Os microrganismos que mais comumente causam a infecção que leva ao abscesso da glândula de Bartholin são: bactérias E. coli, gonococos, estafilococos e estreptococos. Se a bactéria for muito agressiva, o abscesso poderá estar completamente desenvolvido em 2 ou 3 dias. Qualquer pressão na vulva pode provocar dores tão intensas que mesmo sentar ou andar parecem quase impossíveis.

Tratamento: Os banhos de assento mornos 4 vezes ao dia, por vários dias, geralmente trazem algum alívio. Eles podem ajudar a restringir a infecção e precipitar uma drenagem espontânea. Contudo, a drenagem espontânea nem sempre resolve o problema, uma vez que o ponto de abertura é geralmente muito pequeno e obstrui rapidamente, antes de completar a drenagem. Uma incisão cirúrgica que resulte na drenagem completa do abscesso proporciona o melhor alívio e a recuperação mais rápida. Este procedimento pode ser realizado no consultório médico com anestesia local. A colocação da extremidade de uma gaze iodada no abscesso, durante a cirurgia, permite que este continue a drenar e facilita a cura. Podem ser prescritos antibióticos para combater a infecção, mas estes geralmente não são necessários se o abscesso for adequadamente drenado.