Anorexia Nervosa

Descrição: É um distúrbio alimentar resultado da preocupação exagerada com o peso corporal, que pode provocar problemas psiquiátricos graves. A pessoa se olha no espelho e, embora extremamente magra, se vê obesa. Com medo de engordar, exagera na atividade física, jejua, jejua, vomita, toma laxantes e diuréticos. É um transtorno que se manifesta principalmente em mulheres jovens, embora sua incidência esteja aumentando também em homens. Às vezes, os pacientes anoréticos chegam rapidamente à caquexia, um grau extremo da desnutrição.

Causa: Diversos fatores favorecem o aparecimento da doença: predisposição genética, o conceito atual de moda que determina a magreza absoluta como símbolo de beleza e elegância, a pressão da família e do grupo social e a existência de alterações neuroquímicas cerebrais, especialmente nas concentrações de serotonina e noradrenalina.

Prevenção: Estudos mostram que o incentivo à alimentação saudável e à prática de atividades físicas desde a infância são medidas que reduzem a incidência de transtornos alimentares. Buscar orientar as crianças na escolha de seus alimentos e na valorização de seus atributos corporais é importante para formação de adultos com saúde e qualidade de vida.

Sintomas: Perda exagerada de peso em curto espaço de tempo sem nenhuma justificativa. Nos casos mais graves, o índice de massa corpórea chega a ser inferior a 17; recusa em participar das refeições familiares (os anoréticos alegam que já comeram e que não estão mais com fome); preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos. Esses pacientes chegam a ingerir apenas 200kcal por dia; interrupção do ciclo menstrual (amenorreia) e regressão das características femininas; atividade física intensa e exagerada; depressão, síndrome do pânico, comportamentos obsessivo-compulsivos; visão distorcida do próprio corpo (apesar de extremamente magras, essas pessoas julgam-se com excesso de peso); pele extremamente seca e coberta por lanugo (pelos parecidos com a barba de milho).

Tratamento: A reintrodução dos alimentos deve ser gradativa. Caso contrário provocaria grande sobrecarga cardíaca. Às vezes, é necessária a internação hospitalar para que essa oferta gradual de calorias seja controlada por nutricionistas. Não há medicação específica para a anorexia nervosa. Medicamentos antidepressivos podem ajudar a atenuar sintomas depressivos, compulsivos e de ansiedade. Em geral, o tratamento de pacientes anoréticos exige o trabalho de equipe multidisciplinar.

Links para Pesquisa (Artigo): Reflexões sobre a anorexia

Vídeo: Anorexia nervosa

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.