Profissionais do Crer se capacitam sobre coronavírus em videoaula

Médicos e residentes da unidade do Governo de Goiás assistiram à videoaula sobre manejo da Covid-19, promovida pelo Governo de Goiás/SES

Diante do surgimento do novo coronavírus e da pandemia instalada no planeta, profissionais da saúde precisam correr contra o tempo na busca pelo conhecimento e pela capacitação assistencial. Por isso, os profissionais do Centro Estadual de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) participam, diariamente, dos momentos de troca de conhecimentos compartilhados pelos órgãos sanitários estaduais e federais.

Na manhã desta sexta-feira, 20, médicos e residentes da unidade do Governo de Goiás assistiram à  videoaula Manejo da Covid-19, realizada pela Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO). “Neste momento de crise, de informações desencontradas, é de suma importância a instituição chamar para si a responsabilidade de informar e capacitar seu corpo de profissionais, sejam eles técnicos ou administrativos. É o Crer, mais uma vez, usando toda sua credibilidade e expertise em prol da população”, explicou o gerente médico de Atendimento ao Paciente Internado, Ciro Bruno Silveira Costa.

Segundo a fisioterapeuta e responsável pelo Centro de Estudos do Crer, Andrea Souza Rocha, os terminais de videoconferência da instituição são alternativas importantes neste momento, em que a recomendação é evitar aglomerações e, ao mesmo tempo, buscar por qualificação e capacitação dos profissionais.

Melhor atendimento
“O Crer sempre contou com estrutura física e ferramentas concretas para o uso na área de educação permanente. Nesse sentido, nossos profissionais estão amparados pelo Centro de Estudos do Crer neste momento de busca por conhecimento, disseminação de informações e qualificação profissional para o melhor atendimento ao paciente”.

Além das videoaulas, outras ações de educação a distância também estão sendo realizadas na instituição por meio do Terminal de Videoconferência do Conecta SUS instalado no Crer. “É a tecnologia a favor da ciência”, definiu Andrea.

 

Rafaela Bernardes (texto e foto)/Agir