links de interesse mapa do site webmail

  • A
  • C
  • E
  • G
  • I
  • K
  • M
  • O
  • Q
  • S
  • U
  • W
  • Y
  • B
  • D
  • F
  • H
  • J
  • L
  • N
  • P
  • R
  • T
  • V
  • X
  • Z

Diarreica Aguda

Imprimir

DESCRIÇÃO: A doença diarreica aguda pode ser de origem infecciosa e não infecciosa. Para a saúde pública, a de maior importância é a infecciosa, devido a sua maior frequência. As principais causas são: infecciosa - bactérias e suas toxinas, vírus, parasitos, toxinas naturais; não infecciosa - intolerância a lactose e glúten, ingestão de grandes quantidades de hexitóis (adoçantes), ingestão demasiada de alguns alimentos,  laxantes e antiácidos mal absorvidos, ácidos biliares, gorduras não absorvidas, algumas drogas(catárticos antraquinônicos, óleo de rícino, prostaglandinas), e hormônios peptídicos produzidos por tumores pancreáticos.


SINTOMAS: Aumento do número de evacuações, com fezes aquosas ou de pouca consistência. Em alguns casos, há presença de muco e sangue. Pode ser acompanhada de náusea, vômito, febre e dor abdominal. No geral, é auto-limitada, com duração entre 2 a 14 dias e não confere imunidade duradoura. Os episódios de diarreia aguda, de uma maneira geral, podem ser divididos em dois grandes grupos: diarreia aquosa - caracterizada pela perda de grande quantidade de água durante a evacuação, promovendo uma alteração na consistência das fezes. Pode estabelecer rapidamente um quadro de desidratação; e diarreia sanguinolenta (disenteria): caracterizada pela presença de sangue nas fezes, podendo haver presença de muco e pus. Sugere inflamação ou infecção do intestino.


TRANSMISSÃO: Transmissão indireta: ingestão de água e alimentos contaminados, contato com objetos contaminados (Ex.: utensílios de cozinha, acessórios de banheiros, equipamentos hospitalares). Transmissão direta: pessoa a pessoa (Ex.: mãos contaminadas) e de animais para as pessoas. Os manipuladores de alimentos e vetores, como as moscas, formigas e baratas, podem contaminar, principalmente, os alimentos e utensílios. Locais de uso coletivo, tais como escolas, creches, hospitais e penitenciárias apresentam maior risco de transmissão.


TRATAMENTO: O tratamento da doença diarreica aguda consiste em quatro medidas: correção da desidratação e do desequilíbrio eletrolítico, combate à desnutrição, uso adequado de medicamentos e prevenção das complicações.


PREVENÇÃO: As medidas de controle consistem em: melhoria da qualidade da água, destino adequado de lixo e dejetos, controle de vetores, higiene pessoal e alimentar. A educação em saúde, particularmente em áreas de elevada incidência de diarreia, é fundamental, orientando as medidas de higiene e de manipulação de água e alimentos. Locais de uso coletivo, tais como escolas, creches, hospitais, penitenciárias, que podem apresentar riscos maximizados quando as condições sanitárias não são adequadas, devem ser alvo de orientações e campanhas específicas. Considerando a importância das causas alimentares nas diarreias das crianças pequenas, é fundamental o incentivo a prorrogação do tempo de aleitamento materno, comprovadamente uma prática que confere elevada proteção a esse grupo populacional.


LINKS PARA PESQUISA


Diarreia - http://www.drauziovarella.com.br/Sintomas/278/diarreia


VÍDEOS
http://www.youtube.com/watch?v=Nyxxk3F7bzw&feature=PlayList&p=EEE2A8995FF45632&playnext_from=PL&playnext=1&index=44 - Que sinais justificam a ida à Urgência de Pediatria em situações de vómitos ou diarreia?