Teclas de Atalho

[Alt] + [Shift] + 1em qualquer página do portal, leva diretamente ao começo do conteúdo principal da página.

[Alt] + [Shift] + 2em qualquer página do portal, leva diretamente ao início do menu principal.

[Alt] + [Shift] + 3em qualquer página do portal, leva diretamente ao rodapé da página.

[Alt] + [Shift] + cativa o contraste

[Alt] + [Shift] + aaumenta o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + ddiminui o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + rredefine o tamanho da fonte para padrão

HDT – Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad

Diretoria

  • Diretor Geral: Dr. Roger Moreira


    62 3201-3619
  • Diretora Técnica: Letícia Mara Conceição Aires


    62 3201-3622
  • Diretora de Ensino e Pesquisa: Dra. Marília Dalva Turchi


    62 3201-3632

Localização

Av. Contorno s/nº, Jardim Bela Vista – Goiânia – Goiás – CEP: 74.853-120

Visualizar no mapa

Prestação de Contas

Acesse aqui

O Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT) é referência no atendimento eletivo e de emergência de média e alta complexidade em Infectologia e Dermatologia Sanitária, para doenças infecciosas e dermatológicas como HIV/Aids, tuberculose, meningite, hepatite, tétano, acidentes ofídicos, entre outros.

Foi fundado em 1977, em virtude de uma epidemia de doenças meningocócicas em Goiás, no período de 1972 a 1976, e possui a certificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA).

Informações

Projetos

  • Além das atividades em prol dos pacientes, o HDT realiza ações de Humanização e integração para funcionários da unidade. A programação ocorre ao longo do ano e atua em diferentes áreas. Os destaques são a Semana do Servidor, o Plano de Capacitação dos funcionários, e a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat). Além disso, o hospital promove, mensalmente, festa para os aniversariantes; anualmente, a festa de confraternização de final de ano, e a festa junina intitulada Arraiá Solidário, visando integrar colaboradores de todos os setores da unidade.

  • As visitas hospitalares são parte importante no processo de recuperação dos pacientes. Para facilitar o contato de familiares e amigos com as pessoas internadas, o HDT oferece a opção noturna para ampliar o acesso dos visitantes à unidade, diariamente, das 19h30min às 20h. A modalidade é exclusiva para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos, já que na área pediátrica os pais têm livre acesso à qualquer hora do dia e da noite.

  • Este método consiste na recuperação funcional de pacientes cronicamente hospitalizados. Todos os setores da unidade são envolvidos para viabilizar a recuperação dos internos. As equipes trabalham para garantir qualidade de vida ao paciente, acelerar a alta hospitalar e devolvê-lo à comunidade com independência na realização de suas atividades.

    A hospitalização e a internação nas UTI contribuem para o desenvolvimento de fraqueza muscular e para a redução da mobilidade que, por sua vez, diminuem a habilidade funcional e a qualidade de vida do paciente. Um dos destaques do projeto é a orientação de pais e responsáveis para a realização de massagens terapêuticas nas crianças internadas na UTI pediátrica.

Programas

  • Graças a este trabalho, desenvolvido pelo Setor de Adesão, Goiás é referência no controle do HIV/Aids no país com a diminuição de casos de transmissão vertical (situação em que a criança é infectada durante a gestação, no parto ou por meio da amamentação). Por meio do programa, os filhos recebem leite especial até atingirem um ano e meio de vida. A doação é importante, pois as mães não amamentam seus filhos para não transmitirem o vírus HIV. Mais de 600 mulheres já passaram pelo programa e a taxa de transmissão vertical é próxima de zero.

  • Referência regional no tratamento de doenças infecciosas e dermatológicas, o HDT trabalha desde sua fundação em convênio com várias instituições de ensino:

    Linhas de pesquisa: Leishmaniose, micoses, HIV/AIDS, tuberculose, hepatites, hanseníase, controle de infecção hospitalar e psoríase.

    Residência Médica: infectologia com duração de 3 anos, infectologia pediátrica com duração de 2 anos e dermatologia com duração de 3 anos;

    Residência multiprofissional: psicologia, enfermagem, nutrição, fisioterapia.

  • Graduação: O hospital recebe alunos do curso de Medicina de faculdades conveniadas (UFG, PUC Goiás, UniEvangélica, entre outras) para estágio curricular em Infectologia, em regime de internato, além de estudantes dos cursos de enfermagem, nutrição, psicologia, farmácia e fisioterapia;

    Pós-graduação: Residência médica nas áreas de infectologia e dermatologia com HMI, HGG, Hugo, Santa Casa, UFG, UniEvangélica e outros;

    De aperfeiçoamento: Nas áreas de infectologia e dermatologia para profissionais da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

Informações para familiares e amigos de pacientes

  • O HDT dispõe de uma cartilha para pacientes, acompanhantes e visitantes, a fim de prestar informações importantes aos usuários sobre os serviços realizados e zelar pela qualidade e segurança. A cartilha contem algumas recomendações, sendo um instrumento facilitador para a convivência comum no ambiente hospitalar.

  • – Não usar trajes inadequados, tais como: roupas curtas, miniblusa, transparências, shorts e outros. É terminantemente proibido o acompanhante ou paciente permanecer no hospital com trajes íntimos;
    – Não é permitida a troca excessiva de intimidades entre casais nas dependências do hospital;
    – Não é permitido fumar, consumir ou circular sob efeito de bebida alcoólica;
    – Não é permitido acompanhante alcoolizado ou drogado;
    – É proibido lavar roupas nos banheiros da unidade.

  • – Alas “A”, “B”, “C”, “D” e emergência: 14h às 16h – 2 visitas alternadas;
    – UTI Pediátrica: 16h30 às 17h – 2 visitas alternadas;
    – UTI Adulto: 15h às 15h30 – 2 visitas juntas e 19h30 às 20h – 2 visitantes;
    – Troca de acompanhantes: 9h às 10h e 18h às 19h, com cadastro obrigatório na recepção.
    OBS: Para pacientes em isolamento, apenas 1 visitante por horário

  • – Acompanhante e visitantes deverão portar seu adesivo de identificação enquanto permanecer no hospital;
    – Não é permitida a troca de identificação entre acompanhantes de outros leitos;
    – Quando sair do hospital, deverá devolver sua identificação à recepção;
    – Não será permitida a entrada de menores de 16 anos para visita, exceto em situações previamente avaliadas com o setor de psicologia;
    – É terminantemente proibido o trânsito de acompanhantes e visitantes no hospital, sendo obrigatória a permanência em tempo integral junto ao paciente;
    – No caso de paciente reeducando internado, visitas somente com autorização da penitenciária.

    OBS:
    – Uma equipe multiprofissional avalia diariamente a necessidade de acompanhante para pacientes maiores de 18 anos;
    – O acompanhante deverá ser maior de 18 anos e de preferência do mesmo sexo do paciente em condições físicas e mentais;
    – A autorização para acompanhante poderá ser suspensa sempre que necessário.