Teclas de Atalho

[Alt] + [Shift] + 1em qualquer página do portal, leva diretamente ao começo do conteúdo principal da página.

[Alt] + [Shift] + 2em qualquer página do portal, leva diretamente ao início do menu principal.

[Alt] + [Shift] + 3em qualquer página do portal, leva diretamente ao rodapé da página.

[Alt] + [Shift] + cativa o contraste

[Alt] + [Shift] + aaumenta o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + ddiminui o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + rredefine o tamanho da fonte para padrão

Biblioteca

Antraz ou Carbúnculo

  • 24 jul 2017

Antraz ou Carbúnculo

  • Causada pela bactéria Bacillus anthracis. É uma doença infecto-contagiosa de origem animal, conhecida vulgarmente por peste da Manqueira ou mal de ano. Ataca principalmente animais ruminantes herbívoros que pastam em áreas com solo contaminado. O nome da doença faz referência à mancha negra formada na pele, em caso de contaminações cutâneas. Essa infecção cutânea não é especialmente perigosa, mas a bactéria pode formar esporos capazes de sobreviver quando são triturados, desidratados, enterrados ou borrifados e tornam-se ativos quando inalados ou digeridos. A incidência do carbúnculo é muito baixa, geralmente, esporádica em quase todo o mundo. No Brasil, não existe registro de casos da doença em humanos. Atualmente, o risco de se contrair a doença é mínimo.

  • Pelo manuseio de produtos como lã, couro, ossos e pêlos vindos de animais infectados. Também pode ser contraída por ingestão de alimentos contaminados, inalação de esporos, picada de insetos que se alimentam de sangue e que tenham picado animais contaminados. Não é transmitida de forma direta de uma pessoa para outra.

  • Não tocar, agitar, limpar ou recolher material que possa conter a bactéria Bacillus anthracis; evitar olhar muito de perto, cheirar, provar, espirrar ou tossir próximo a materiais contaminados; desligar aparelhos de climatização, condicionadores, exaustores e ventiladores de ar em ambientes que possam estar infectados; fechar janelas e portas, sair do local contaminado, mantendo-o isolado e não permitir a entrada de ninguém; demarcar a área para desinfecção.

  • Podem variar de acordo com a forma de contaminação. Cutânea – em contato com a pele, o antraz forma uma lesão que evolui do estado de uma pequena irritação, como se fosse uma picada de mosquito, para bolhas purulentas que evoluem para uma cicatriz negra profunda. É a forma mais frequente, mas também a mais fácil de tratar. Inalatória – a princípio se assemelha a um resfriado comum, mas logo apresenta problemas graves de respiração. A segunda fase se manifesta de maneira repentina com aumento da febre, dificuldade para respirar e parada cardíaca. Intestinal – é caracterizada por uma inflamação intestinal aguda. Os sintomas são náuseas, vômito sanguinolento, perda de apetite. Seguem febre, dores abdominais e forte diarreia. É fatal em 50% dos casos.

  • O antraz é tratado com antibióticos. No entanto, para que o tratamento seja eficaz, faz-se necessário que o diagnóstico da doença seja realizado até 60 dias após a exposição à bactéria. É recomendado o acompanhamento dos pacientes em regime ambulatorial até sua completa recuperação. Os casos devem ser comunicados imediatamente à Secretaria Municipal de Saúde.