Teclas de Atalho

[Alt] + [Shift] + 1em qualquer página do portal, leva diretamente ao começo do conteúdo principal da página.

[Alt] + [Shift] + 2em qualquer página do portal, leva diretamente ao início do menu principal.

[Alt] + [Shift] + 3em qualquer página do portal, leva diretamente ao rodapé da página.

[Alt] + [Shift] + cativa o contraste

[Alt] + [Shift] + aaumenta o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + ddiminui o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + rredefine o tamanho da fonte para padrão

Sarampo e Poliomielite

Tire as dúvidas sobre Poliomielite e Sarampo

A Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo para crianças de 1 ano a menores de 5 anos de idade acontece de 6 a 31 de agosto em todo o país. O dia “D” será 18 de agosto, sábado, onde as unidades de saúde estarão abertas de 8h às 17h.

A população alvo para a campanha de vacinação a ser realizada no período de 6 a 31 de agosto é composta de crianças de um ano ate quatro anos 11 meses e 29 dias. A meta mínima a ser alcançada é de 95% de cobertura vacinal contra poliomielite e sarampo.

Erradiccação da Poliomielite

As campanhas de vacinação contra a paralisia infantil, realizadas desde 1980, contribuíram para a Erradicação da Poliomielite do Brasil em 1994, quando recebeu o certificado da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Em 1989 foi registrado o último caso confirmado em território brasileiro. Porém, essa situação pode mudar rapidamente se essa doença não for erradicada do planeta, uma vez que ela tem potencial epidêmico. Em 2018 ainda restam três países endêmicos: Nigéria, Afeganistão (1 caso) e Paquistão (7 casos) representando uma ameaça às áreas livres, como o Brasil.

Erradicação do Sarampo

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo, e atualmente empreende esforços para manter o certificado, interromper a transmissão dos surtos e impedir que se estabeleça a transmissão sustentada. Para ser considerada transmissão sustentada, seria preciso a ocorrência do mesmo surto por mais de 12 meses.

Entre 2013 e 2015, ocorreram surtos decorrentes de pacientes vindos de outros países. No ano de 2018, até 27 de junho, foram confirmados 265 casos de sarampo no Estado do Amazonas e 200 em Roraima sendo que destes 2 foram a óbito. Há casos confirmados da doença também no Rio Grande do Sul (6) e São Paulo (1). No estado de Goiás o último caso da doença ocorreu em 1999.

A importância da Vacinação

A não vacinação leva a formação de grupos suscetíveis, favorecendo a reintrodução dessas doenças que já foram eliminadas/erradicadas.

Pais e responsáveis devem levar seus filhos menores de 5 anos às unidades de Saúde para receberem a vacina contra a poliomielite (gotinha) e contra o sarampo (tríplice viral).  É obrigatória a apresentação da Caderneta de Vacinação.

Esquema vacinal para Poliomielite e sarampo na rotina e na campanha: Clique aqui

Perguntas e Respostas sobre Sarampo

  • É uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmissível e extremamente contagiosa. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

    A doença pode causar sérias complicações como pneumonia, encefalite (inflamação no cérebro), cegueira e até evoluir para óbito. A transmissão pode ocorrer por dispersão de gotículas com partículas virais no ar, principalmente em ambientes fechados como creches, escolas, clínicas e meios de transporte, incluindo aviões.

  • O vírus do sarampo pertence ao gênero Morbillivirus, família Paramyxoviridae.

    • Febre alta, acima de 38,5°C;
    • Dor de cabeça;
    • Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo
    • Tosse;
    • Coriza;
    • Conjuntivite;
    • Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal conhecida como sinal de koplik, que antecede de 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas
  • Ocorre de forma direta, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Por isso, a elevada contagiosidade da doença. A transmissão pode ocorrer de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema até quatro dias após o aparecimento do exantema. O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início do exantema. O vírus vacinal não é transmissível.

  • Não existe tratamento específico para o sarampo. É recomendável a administração da vitamina A em crianças acometidas pela doença, a fim de reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. O tratamento profilático com antibiótico é contraindicado.

    Para os casos sem complicação, manter a hidratação, o suporte nutricional e diminuir a hipertermia. Muitas crianças necessitam de quatro a oito semanas para recuperar o estado nutricional que apresentavam antes do Sarampo. Complicações como diarreia, pneumonia e otite média devem ser tratadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

  • A vacinação é a única maneira de prevenir a doença.

    • Pessoas com  suspeitas de sarampo;
    • Gestantes – devem esperar para serem vacinadas após o parto. Caso esteja planejando engravidar, assegure-se que você está protegido. Um exame de sangue pode dizer se você já está imune à doença. Se não estiver, deve ser vacinada antes da gravidez. Espere pelo menos quatro semanas antes de engravidar;
    • Bebês com menos de 6 meses de idade;
    • Pessoas com imunidade baixa, com pacientes de câncer que se submetem a quimioterapia/

    Em casos de dúvidas, procure um posto de vacinação.

  • Nas salas de vacinação instaladas em Unidades de Saúde dos municípios.

Perguntas e Respostas sobre Poliomielite

  • Doença infecto-contagiosa de origem viral, caracterizada por quadro de paralisia flácida de início súbito, principalmente nos membros inferiores.

  • O agente que causa a infecção é de origem viral, o poliovírus (1, 2 e 3). A infecção confere imunidade duradoura ao tipo específico de poliovírus responsável pela infecção.

  • Instalação repentina de paralisia, principalmente dos membros inferiores, acompanhada de febre, com flacidez muscular, diminuição ou abolição de reflexos profundos na área paralisada, sensibilidade conservada, e persistência de sequela após 60 dias do início da doença.

  • Contato direto pessoa a pessoa, pelas vias fecal-oral ou oral-oral, esta última através de gotículas de muco da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar).

  • Não existe tratamento específico, todas as vítimas de contágio devem ser hospitalizadas, fazendo tratamento de suporte.

  • A vacinação é a única forma de prevenção. Todas as crianças menores de cinco anos de idade devem ser vacinadas conforme esquema de vacinação de rotina e na campanha nacional anual. Procure um posto de saúde e se informe sobre o calendário vacinal da criança.

  • As vacinas estão disponíveis nas mais de 36 mil salas de vacinação do país de acordo com as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

Informes Técnicos

    • Clique aqui e veja as informações.
    • Clique aqui e veja as informações.
    • Clique aqui e veja as informações.
    • Clique aqui e veja as informações.
  • Clique aqui e veja as informações