Teclas de Atalho

[Alt] + [Shift] + 1em qualquer página do portal, leva diretamente ao começo do conteúdo principal da página.

[Alt] + [Shift] + 2em qualquer página do portal, leva diretamente ao início do menu principal.

[Alt] + [Shift] + 3em qualquer página do portal, leva diretamente ao rodapé da página.

[Alt] + [Shift] + cativa o contraste

[Alt] + [Shift] + aaumenta o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + ddiminui o tamanho da fonte

[Alt] + [Shift] + rredefine o tamanho da fonte para padrão

Goiás contra o Aedes

O país vive uma situação de emergência, com a incidência de diferentes doenças transmitidas pelo Aedes aegypti – dengue, chikungunya, febre amarela e zika. A situação agravou-se ainda mais nos últimos meses com a associação da zika aos casos de microcefalia e de Síndrome de Guillain Barré (que afeta o sistema nervoso central).

Esse grave quadro impõe a necessidade de fortalecimento da assistência à saúde e do combate sistemático e contínuo ao mosquito transmissor. Goiás está em situação de emergência e em força-tarefa para eliminar criadouros do mosquito e assim, evitar o adoecimento coletivo.

A Portaria 1.378/2013, do Ministério da Saúde, prevê que tais ações devem ser desenvolvidas de forma independente e compartilhada pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios, nos quais o prefeito municipal é figura central no processo de coordenação:

Prevenção e informações sobre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti

Confira um seleção de artigos presentes na Biblioteca com informações detalhadas sobre prevenção, informações sobre as doenças transmitidas pelo mosquito e muito mais!

Acessar artigos sobre Aedes

Portarias, decretos e notas técnicas

Números

Protocolos

Municípios

  • Responsabilidade dos municípios

    Combate

    LIXO – Fazer a coleta e distribuição adequada do lixo no aterro sanitário. A coleta deve ser realizada no mínimo uma vez por semana nos domicílios. A coleta seletiva, que separa os itens recicláveis do material orgânico, deve ser incentivada.
    SANEAMENTO – Manter serviços básicos de acesso à água tratada e destino de dejetos é fundamental. Orientar a população onde houver cisternas e fossas para que sejam tampadas e passem por manutenção periódica.
    LIMPEZA – Realizar manejo ambiental, especialmente no período que antecede a estação chuvosa.
    AGENTES DE SAÚDE E ENDEMIAS – Contratar equipes de Agentes de Combate às Endemias (ACE) e de Agentes Comunitários de Saúde (ACS). Tais profissionais têm a tarefa de realizar visitas domiciliares, orientar a população quanto à prevenção das doenças e fazer o bloqueio dos casos de dengue.
    EDUCAÇÃO – Estruturar e manter em funcionamento o Programa de Educação em Saúde com envolvimento dos profissionais de saúde e das escolas;
    ATENÇÃO BÁSICA E VIGILÂNCIA – Manter unidades de saúde dotadas de condições e de profissionais aptos e capazes de realizar atendimento médico aos pacientes com suspeitas da doença e de notificar os casos;
    GESTÃO INTEGRADA – Articular todos os órgãos da Prefeitura para envolvimento e adesão às medidas de prevenção e controle.
    INSTALAR COMITÊ MUNICIPAL COMBATE – Como montar o Comitê Municipal de Combate ao Aedes (veja na ultima página)

    Comitês municipais de combate ao Aedes

    Devem ser instituídos por decreto do prefeito tendo em vista as Diretrizes Nacionais para o controle de epidemias. E o próprio prefeito deve ser o líder do Comitê a fim de garantir a efetividade das ações. Veja como deve ser a composição.
    Gestores integrantes:
    -Prefeito Municipal;
    -Secretário Municipal de Saúde
    -Secretaria Municipal de Meio Ambiente e departamento de Limpeza Publica;
    -Secretaria Infraestrutura e Obras
    -Vigilância Sanitária e Epidemiológica;
    -Secretaria Municipal de Educação;
    -Concessionária (publica ou privada) de água

    Podem ser convidados para o Comitê os representantes:

    -Da Câmara Municipal
    -Poder Judiciário
    -Instituições religiosas,
    -Conselho Municipal de Saúde

    Principais atribuições do Comitê:

    -Apresentar os dados do LIRAa aos integrantes: a situação da infestação de cada estrato do município, priorizando os de maior infestação, os depósitos predominantes e a relação de cada depósito com as atividades dos demais órgãos;
    -Recomendar ações objetivas a serem executadas pelos órgãos e entidades participantes visando eliminar ou reduzir o criadouro predominante em cada estrato do município;
    -Garantir a publicidade, divulgação ampla das ações e dos resultados das ações do Comitê;
    -Aprimorar a notificação dos casos, bem como o devido bloqueio com os agentes de saúde e endemias;

  • Cidades que estão vencendo o mosquito

    ARUANÃ, BELA E SEGURA

    Situada no Vale do Araguaia e um dos cartões-postais de Goiás, Aruanã tinha a dificuldade dos reservatórios naturais de água e mais as piscinas de pousadas e clubes. O alto índice de infestação em 2013, fez com que a Prefeitura Municipal adotasse ações que reduziram os casos de dengue.

    “A união dos municípios vizinhos e o apoio dos seus prefeitos dando suporte, foi fundamental para enfrentar os momentos críticos e envolver toda a população”. Paulo Valério da Silva (Paulinho Peixe Vivo) – Prefeito Municipal de Aruanâ.

    – O município tem executado 3 (três) campanhas mobilização por ano; uma nas escolas com atividades de conscientização dos alunos e duas no período seco para roçagem, limpeza de lotes e coletas de entulhos;

    – A cada início de uma campanha é enviada uma carta à população estabelecendo as metas e convocando à participação; as casas que estão sem focos recebem o reconhecimento na forma do adesivo “ESTA CASA COMBATE A DENGUE”;

    – Divulgação nas emissoras de rádio e carro de som nos bairros da cidade; médicos e especialistas são designados para falar nos programas de rádio do município e palestras nas escolas;

    – Por ser uma cidade turística foi criada uma estratégia especial com o mapeamento das piscinas e o monitoramento através de uma fiscalização visando que sejam limpas adequadamente;

    Morrinhos, cidade limpa

    Morrinhos, na região Sul aceitou o desafio de eliminar criadouros, envolvendo as escolas, moradores, igrejas, comerciantes. Toda a cidade participa da coleta programada de entulho e a cidade dá um show de limpeza e asseio.

    “Os gestores devem assumir pessoalmente a responsabilidade pela tarefa e mobilizar a população de forma consciente e criativa”.

    – Foi adotada no município uma coleta de entulhos programada anualmente, com a distribuição para a população de um calendário (tipo folhinha) indicando as datas em que os bairros receberão a visita dos caminhões para fazerem a retirada de entulhos. A frequência é a cada 3 (três) meses;

    – Atenção especial na limpeza de lotes baldios, com a fiscalização e o monitoramento dos terrenos;

    – O município promoveu reuniões com entidades segmentadas (Igrejas, Empresários, Lojas Maçônicas, etc) para participação efetiva. Uso de todas as mídias, através da sociedade organizada, para divulgar as ações das campanhas;

    – Distribuição de álbuns de figurinhas nas escolas para os alunos até o 9º ano. Ao completar os álbuns ou acharem figurinhas premiadas eles ganham prêmios, como skates, bicicletas, bolas e outros. A aquisição das figurinhas é feita por aqueles que entregarem um número maior de garrafas pets.