Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Goiás

Image

O Centro de Informação Toxicológica do Estado de Goiás (CIT/GO), é um departamento técnico da Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás (SUVISA), sendo esta vinculada à Secretaria de Estado da Saúde de Goiás.

O CIT, configura cuja função é fornecer informações e orientações a profissionais da área da saúde, bem como à população em geral em caráter de emergência, atuando na otimização do atendimento (diagnóstico e tratamento) de pacientes vitimados por exposições químicas em geral, incluídas as exposições por substâncias potencialmente tóxicas, contaminação por pesticidas agrícolas ou domésticos, substâncias químicas de uso doméstico ou industrial, plantas tóxicas, animais peçonhentos, medicamentos de uso humano ou animal, drogas lícitas e ilícitas, raticidas, cosméticos/higiene pessoal, alimento, metal ou qualquer outro agente potencialmente tóxico.

Possui uma equipe multidisciplinar de profissionais (médicos, enfermeiros psicólogos, farmacêuticos, médico veterinário e outros), que atuam em regime de plantão, funcionando 24 horas por dia, de forma ininterrupta, inclusive feriados e finais de semana.

Mais informações acesse aqui.

Hospitais e Unidades com Aplicação de Soro em Goiás

Conhecendo o Centro de Informação Toxicológica

Orientações e Legislação

Acesse aqui informações sobre legislação e material de apoio sobre o Centro de Informação Toxicológica.

Saiba mais sobre o Assunto

Biblioteca da Vigilância em Saúde

Saiba mais informações sobre a Biblioteca da Superintendência de Vigilância em Saúde.

Leia mais: Biblioteca da Vigilância em Saúde

Intoxicações: Conhecendo e prevenindo

As intoxicações ocorrem quando um ser humano, animal ou planta entra em contato com um produto tóxico. Todas as substâncias químicas podem ser tóxicas, dependendo da sua dosagem. Os produtos tóxicos podem estar em qualquer lugar, mas muitas vezes estão dentro da nossa própria casa. Saber reconhecer os tóxicos é muito importante. Eles estão presentes como inseticidas, plantas, animais peçonhentos, materiais de limpeza em geral, produtos de higiene, medicamentos, tintas e outros. 

A faixa etária em que mais acontece casos de intoxicação está entre 1 e 4 anos, principalmente com medicamentos e produtos de uso domiciliar, porque as crianças nessa idade colocam tudo na boca, imitam os adultos, são curiosas e não tem medo, pois não sabem o perigo dos produtos.

Prevenindo as intoxicações

  • Oriente as crianças a partir de 2 anos de idade sobre os riscos das intoxicações;
  • Mantenha os produtos em suas embalagens originais, nunca troque a embalagem, principalmente por garrafas de refrigerantes ou de outros produtos alimentícios;
  • Nunca reutilize embalagens de produtos;
  • Mantenha os produtos de limpeza e medicamentos em gavetas, armários e caixas com chave, longe do alcance das crianças;
  • Não deixe os inseticidas e raticidas ao alcance dos olhos e das mãos de crianças menores;
  • Siga as orientações do fabricante contidas no rótulo ou na bula. Elas devem conter informações importantes para você e para o médico, em caso de intoxicação;
  • Não tome medicamento no escuro;
  • Não pratique automedicação e não oriente medicamentos aos outros. Procure o médico.

Quando suspeitar de intoxicação

  • Vômitos, sonolência, convulsão, confusão mental, salivação, sensação de queimação na boca, garganta ou estômago, convulsão e dificuldade respiratória
  • Sinais evidentes na boca ou na pele decorrente de contato ou ingestão com substâncias químicas ou plantas tóxicas
  • Passagem rápida do estado normal para um quadro de doença grave
  • Hálito ou respiração com cheiro anormal
  • Odor na pele, roupas, piso, brinquedos e objetos ao redor
  • Lesões, queimaduras ou vermelhidão na pele, ao redor da boca e lábios.  

O que fazer em caso de intoxicação

  • Frente a um acidente tóxico, mantenha a calma, e entre imediatamente em contato com o plantão de emergência do CIT/GO;
  • Quando há sinais de ingestão, retire os restos do produto da boca, lavando em seguida com jato suave de água corrente;
  • Quando tiver contato com a pele, retire as roupas contaminadas e lave bem a área afetada com água corrente e sabão neutro;
  • Quando a contaminação for através da respiração remova a pessoa do ambiente levando-a para local ventilado;
  • Não tome medidas por conta própria. Ligue para o CIT para receber instruções;
  • Deixe o número sempre perto do seu telefone;
  • Leve o acidentado imediatamente a um posto de saúde ou hospital mais próximo levando a embalagem do produto, a planta ou animal (se puder capturar).

O que não fazer

  • Nunca provoque vômito a menos que seja orientado para isso. Existem condutas diferentes para diferentes grupos de produtos;
  • Nas lesões dos olhos não use colírio e nas lesões de pele não use antídotos locais. Procure um médico ou oriente-se no CIT.

Medicamentos

Os medicamentos ocupam o primeiro lugar nas causas de intoxicações em todo o mundo. Em Goiás, a realidade não é diferente. Os acidentes tóxicos por medicamentos vêm crescendo nas áreas urbanas dos nossos municípios com muita intensidade, conforme notificações no CIT/GO.

São vários os fatos que favorecem direta ou indiretamente as intoxicações medicamentosas, dentre elas: prescrição médica com letra ilegível, prescrição múltipla, falta de orientação quanto ao uso dos medicamentos, auto-medicação, “farmacinhas” domiciliares, e outros.

Cuidado na hora da compra

  • Não compre medicamentos com embalagem ou frasco amassado, tampa violada, com vazamento ou alteração de cor
  • Verifique se a data de validade
  • Verifique se o nome do medicamento corresponde ao receitado pelo médico
  • Cada prescrição é individual e tem considerações diferentes para cada pessoa;
  • Jamais aceite ou compre um medicamento por sugestão de conhecidos
  • Só compre medicamentos em farmácias ou drogarias, de preferência onde você já conhece
  • Nunca aceite substituição do medicamento sem a autorização do medico ou cirurgião dentista responsável pela prescrição
  • Não se esqueça de pedir a nota fiscal com o nome e número do lote do medicamento adquirido. A nota é importante caso você precise fazer alguma reclamação sobre o produto. Na dúvida, não compre, procure orientação farmacêutica;
  • Toda farmácia é obrigada a ter um farmacêutico, solicite todo o esclarecimento e informação que você precisar antes de adquirir o medicamento;
  • Nunca compre medicamentos em feiras ou de vendedores ambulantes, sob a forma de garrafadas ou produtos fora da embalagem original, ou sem registro no Ministério da Saúde.

Prevenindo intoxicações por medicamentos

  • Guarde as receitas para levar na próxima consulta;
  • Não use a mesma receita médica mais de uma vez, pois um medicamento que foi usado anteriormente pode não ser o indicado para o tratamento da doença atual;
  • Não dê e nem recomende medicamentos naturais (fitoterápicos) ou chás de plantas medicinais, pois também tem seus riscos. Eles devem ser prescritos por um médico, pois podem produzir feitos colaterais e ter contraindicações;
  • Nunca deixe de ler o rótulo ou bula antes de usar qualquer medicamento;
  • Não tome ou administre medicamento no escuro para que não haja trocas perigosas;
  • Tenha atenção redobrada na época de férias escolares, quando as crianças permanecem mais tempo dentro de casa;
  • Os remédios são ingeridos por crianças, quando encontrados em locais de fácil acesso, deixados pelos adultos;
  • Evite tomar medicamentos na frente de crianças;
  • É importante que a criança aprenda que medicamento não é doce ou gostoso, para não toma-lo quando tiver oportunidade;
  • Não dê vidros contendo medicamentos para uma criança brincar;
  • Prefira sempre os medicamentos que tenham tampa de segurança pra que as crianças não consigam abrir;
  • Nunca guarde restos de medicamentos;
  • Cuidado com medicamentos de uso infantil e adulto com embalagens muito parecidas, erros de identificação podem causar intoxicações graves, e as vezes fatais;
  • Confira rigorosamente se é o medicamento certo, na dosagem certa, para a via de administração certa;
  • Guarde todos os produtos potencialmente tóxicos, em local fechado com chave e longe da curiosidade infantil.

Fique sempre de olho nas crianças, principalmente quando elas estão muito quietas. Nunca as deixe sozinhas!